Lesões por pressão provocadas por EPI’s.

A pele é a primeira defesa do organismo contra as infecções. Quando constantemente agredida sua característica protetora fica deficiente, aumentando os riscos do desenvolvimento de lesões nos locais de maior pressão, fricção e hiperidratação (1,3).

Os profissionais de saúde, diante do cenário da pandemia pelo Novo Coronavírus, precisam ter o autocuidado redobrado, visto o grande número de horas consecutivas que devem manter o uso dos EPI’s aumentando o risco de desenvolver lesões por pressão.

A implementação de cuidados que auxiliam na preservação da integridade da pele é imprescindível, pois a ocorrências dessas lesões podem causar impactos na assistência, na qualidade de vida, na autoestima, além de ser uma porta de entrada para diversas infecções (2).

Muito tem se falado sobre as lesões faciais, mas vale ressaltar que também o uso prolongado de luvas de proteção causa a hiperidratação das mãos e o aumento da frequência na lavagem das mãos pode prejudicar o manto hidrolipídico da superfície da pele levando ao desenvolvimento de dermatites (1).

Como forma de auxiliar os profissionais no autocuidado, diversas diretrizes têm sido implementadas para a manutenção da integridade da pele. Abaixo segue algumas recomendações para a prevenção de lesões por pressão provocadas pelos EPI’s (1,2,3):

  • Realizar a higiene da pele com sabonete líquido com PH levemente acidificado.
  • Aplicar na face, principalmente nas regiões de maior fricção (orelhas, testa, nariz e região do zigomático) um creme protetor cutâneo, que deverá ser aplicado uma hora antes da utilização do EPI.
  • Ajuste o dispositivo ao formato do nariz antes de aplicar definitivamente o EPI.
  • Aplicar uma interface protetora nas áreas de maior fricção.
  • Programar minutos de alívio de pressão, recomenda-se retirar o EPI a cada duas horas e não fazer uso do mesmo por mais de 4 horas.
  • Atentar para o uso correto do EPI e inspecionar a pele regularmente por sinais de hiperemia, lesões, desconforto ou dor.
  • Evitar colocar os EPI’s sobre áreas já lesionadas.
  • Para prevenção de dermatite de contato, aplicar um creme, principalmente após a lavagem das mãos e antes do uso do EPI.

Recomendamos como interface protetora os filmes adesivos Pharmapro PU e Pharmapro. Especialmente o Pharmapro por apresentar alto MVTR, ser altamente adaptável e suave, minimizando o risco de hiperidratação e proporcionando maior conforto para o profissional.

Referências

  1. Darlenski R, Tsankov N. Covid-19 pandemic and the skin – what should dermatologists know? Clin Dermatol, in press. https://doi.org/10.1016/j. clindermatol.2020.03.012
  2. Ramalho AO; Freitas PSS; Nogueira PC. Lesão por pressão relacionada a dispositivo médico nos profissionais de saúde em época de pandemia. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., 18: e0120; 2020. https://doi.org/10.30886/ estima.v18.867_PT
  3. Alves, Paulo & Ramos, Paulo & Moura, Anabela & Malcato, Ester & Mota, Filomena & Homem-Silva, Patricia & Vaz, André & Dias, Vanessa & Ferreira, Antonio & Afonso, Gustavo. (2020).
Lesões por pressão provocadas por EPI’s.

Precisando de soluções exclusivas?
Entre em contato para agendar a visita de um consultor

Precisa de ajuda? Converse conosco